Vivemos novos tempos, a participação da mulher no contexto social tem sido relevante, elas têm participado do grande evento da modernidade com a explosão da tecnologia e informação. Esse novo cenário tem modificado a vida de muitas mulheres que antes não possuiam perspectiva sobre um futuro mais independente. Hoje, em todos os seguimentos, as mulheres estão inseridas no âmbito social, político e econômico, estão lá as mulheres super poderosas, que venceram os ditames de uma sociedade machista. Foram muitos anos de luta e conquistas até chegarmos num patamar de igualdade, se bem que ainda enfrentamos muitas discriminações. No geral, somos mais que vitoriosas.

Há porém, mulheres que não conseguiram acompanhar essas benditas mudanças, que todos os dias entram em conflito consigo mesmas, que não conseguem se achar nesse novo universo feminino, são as mulheres que perderam sua identidade, não sabem se ficam ou se vão. Quando perguntamos a algumas delas sobre o que são e representam nesse novo mundo, elas dão uma grande pausa e não conseguem responder o que realmente precisam saber todos os dias da sua vida. Não podemos nos esquecer o que somos, o que representamos para a nossa família e sociedade. Esse conflito de identidade tem deixado muitas pessoas, e em especial as mulheres muito desorientadas. Não é a toa que já existem pessoas trabalhando nessa área com cursos e palestras sobre o assunto.

Quantas vezes paramos para refletir sobre esse tema? E se refletimos, qual a nossa resposta? Por isso aconselho: pratiquem o exercício do auto-exame da consciência, se possível todos os dias, isso irá deixar sua mente sempre fresquinha no que tange a seu respeito. Lembre-se que você pertence a esse "mundo", e que por mais que seja difícil adaptar-se a ele, você precisa. Não falo apenas de valores, mas de costumes, de quebra de paradigmas. Portanto, pense, reflita um pouco sobre isso e obtenha uma resposta positiva.

Com carinho,

Fátima Fraga