Ontem eu trabalhei toda manhã, e pela tarde fui para o Recife, capital do Estado de Pernambuco. Eu moro em Paulista, que fica uns 17km de distância da capital, ainda é área metropolitana. Bem, mas como eu estava dizendo, fui para Recife com algumas amigas da minha igreja, a saber, minhas lideradas de um órgão de louvor, onde sou a dirigente. Enfrentamos uma fila enorme na terminal integrado, pegamos o ônibus que ficou super lotado, e claro, fomos em pé até nosso destino, e o pior é que eu estava de botas e com agasalho de frio, pois estava chovendo muito, e mais, havia um passageiro que falava tão alto e tantas bobagens que a maioria do pessoal sorria sem parar. Foi cômico. Pelo menos isso para nos distrair.

Ao chegar ao Recife nos direcionamos à loja para comprarmos os tecidos para o fardamento, por ocasião das festividades do órgão de louvor que participamos. Foi tudo tranquilo, fizemos nossas compras e de lá fomos para uma empresa de serigrafia, lá no centro da cidade mesmo. Nesta empresa passamos mais tempo, porque eu orientei ao rapaz como eu gostaria que nossas camisas ficassem. Dei um trabalhão a ele, porque também trabalho com arte em camisas, e só não fiz as nossas do grupo por falta de equipamento, porque arte tenho até demais... kkk...

Pois bem, após resolver todos esses problemas, nos dirigimos à parada de ônibus que fica bem próximo da empresa onde estávamos. Pegamos o ônibus super lotado, e pense, eu de botas com salto alto, e com agasalho de lã, dentro de um ônibus lotado... kkk... Agora acho cômico, mas na hora do acontecido tive foi raiva. Eu pingava, a sensação era de estar derretendo... Mas enfim, fui em pé de Recife à Paulista, os pés doendo e o suor descendo, além de vir ouvindo um rapaz tocando violino no ônibus, que por sinal, toca maravilhosamente. Mas sabe de uma coisa, valeu apena pelo próximo episódio da minha vida que viria a acontecer.

Bom, ao chegar em casa, eu fui logo desabando, tirando as botas, as roupas, bijuterias, etc... Fiquei literalmente nua. Ufa! Que alívio. Sentei na minha cama e alí fiquei pensando no dia corrido que eu tive, mas agradecida a Deus por ter resolvido problemas referentes à obra de d'Ele. Estava perdida em meus pensamentos, quando o celular tocou de repente, era o dirigente de outro órgão de louvor do qual faço parte. Na verdade eu sabia que tinha um compromisso a noite em um culto de santa ceia numa igreja em outro bairro, mas já havia decidido não ir ao culto porque estava muito cansada. Então meu dirigente ligou para me lembrar a hora do compromisso, foi quando falei: eu não vou, estou muito cansada, e comecei a dar explicações e desculpas para não ir com o grupo a esse evento. Eu estava muito cansada mesmo, mas esse não era o motivo principal da minha desistência de arcar com meu compromisso, havia algo mais profundo, mas picante por trás da minha decisão; eu não estava bem comigo mesma, meu espiritual estava meio que abalado por várias situações da minha vida. Bom, tentei de tudo para evitar essa ida, mas não teve jeito, meu dirigente me venceu ao telefone. Confesso que fiquei aborrecida, mas sou obediente demais, então fui com a face transfigurada em raiva, e ao mesmo tempo pedindo misericórdia a Deus pela minha atitude, afinal, estava indo para adorar a Deus, para louvar o seu santo nome. Mas sabe de uma coisa, Deus nos conhece muito bem, Ele vai na divisão da alma e do espírito, sabe tudo o que sentimos e pensamos.

Bom, nessa linha de pensamento, cheguei ao culto com os demais do grupo, chegamos com uma hora de atraso, mas ainda assim, cehgamos na hora da leitura, que pra mim é de super importância participar. A leitura em si já falara muito ao meu coração, lembro-me que foi feita em Hebreus. Eu comecei a entender a voz de Deus a partir da leitura realizada pelo pastor. Dali em diante foi só lágrimas de alegria e arrependimento diante do Senhor, só Deus sabia o quanto eu precisara ouvir a sua voz de misericórdia e graça. Que boa surpresa da parte de Deus! E ali comecei a pedir perdão por não querer estar naquele lugar, onde Ele sempre se revela aos seus. Que coisa boa ouvir a voz de Deus, principalmente quando estamos nos sentindo culpados e tristes pelas nossas falhas... Deus é tão bom, que em meio as nossas falhas vêm sobre nós com o óleo da unção, seu santo Espírito inunda nosso ser e nos faz sentir quão grande é o amor de Deus. Que culto abençoado, que momento de alegria e reflexão. Eu jamais esquecerei do que ouvi em relação a minha vida. Obrigada Jesus! Desculpa meu dirigente, quando fui grossa em não querer obedecer-lhe, você muito contribuiu para que eu fosse surpreendida e impactada pela palavra e presença de Deus. Obrigada Deus! És TUDO em minha vida.

Com carinho,

Fátima Fraga